Dicas Para Suas Pesquisas - Família Mendola - Da Sicília para o Brasil! Embarque conosco nesta viagem...

Ir para o conteúdo

Menu principal

Dicas Para Suas Pesquisas

Dicas Para Suas Pesquisas


Nós, como marinheiros de primeira viagem em genealogia, gostaríamos de deixar registradas aqui algumas dicas sobre as experiências e os resultados que obtivemos em nossas pesquisas genealógicas, efetuadas durante os últimos anos (iniciamos nossas pesquisas em outubro/1999, quando criamos nosso primeiro site que era acessado no antigo endereço http://br.geocities.com/rmendola_br) que resultaram em todas estas informações que estão contidas em nosso site e muitas outras mais que ainda serão incluídas. Neste espaço de tempo, conseguimos inúmeras certidões tanto no Brasil como na Itália, livros, fotografias, cartas, descobrimos parentes no Brasil e na Itália e vários descendentes dos ramos aos quais pertencemos. O mais importante de tudo isso, é que nós descobrimos todas estas informações através de nosso próprio esforço.

É absolutamente possível que você também consiga, sem ter que pagar por este trabalho. Dedique-se! Dispense algumas horas em pesquisas principalmente na Internet, pois a mesma possui muitas informações interessantes.

No decorrer deste período, efetuamos contatos com muitas pessoas, que nos ajudaram imensamente em nossas pesquisas. Estas pessoas levaram em consideração somente o fator ajuda e amizade, sem importarem-se com dinheiro, mas sim pelo simples prazer de colaborar.

À elas deixamos nossa eterna gratidão, e com certeza estaremos trilhando o mesmo caminho, com o intuito de poder auxiliar dentro de nossas limitações, a todas as pessoas que necessitarem de algum esclarecimento relacionado a pesquisa de seus ancestrais.

Transcrevemos abaixo um texto contendo algumas dicas que obtivemos na Internet, onde estão contemplados alguns passos que nós particularmente seguimos e outras dicas que acrescentamos em função dos resultados por nós obtidos, que poderão ser úteis para você. Boa sorte em suas pesquisas!



.: 1º Passo - Reunir os Documentos

Reúna toda documentação disponível sobre seus familiares: certidões de nascimento, casamento e óbito, carteiras de identidade e de trabalho, passaportes, documentos de naturalização, títulos de eleitor, salvos-condutos, formais de partilha, certificados escolares, etc. As bíblias antigas continham muitas vezes anotações familiares. Cadernos escolares antigos, diários, cartas recebidas de parentes do exterior são muitas vezes fonte riquíssima de informações sobre nossos ancestrais. Vasculhe os baús do porão à procura deles, junte as fotos antigas e procure saber quem são as pessoas que aparecem nelas.

Os documentos servirão para montar a árvore genealógica, enquanto as fotos, cartas e objetos pessoais os ajudarão a montar a história da família. Sem a árvore genealógica, a história familiar começa a bater em obstáculos intransponíveis e perde o sabor e o contato com a realidade.

Para não se perder, é preciso partir do conhecido para o desconhecido: dos parentes mais próximos para os parentes mais distantes.


.: 2º Passo - Cadastrar as Informações

Componha um banco de dados, a partir dos documentos citados acima, onde constem no mínimo os seguintes dados: nome completo, apelidos, datas e locais de nascimento, casamento, falecimento e sepultamento, nomes dos pais, dos sogros, dos irmãos, da esposa e filhos (o nome da esposa deve sempre ser o nome de solteira). Você pode fazer isso em uma folha de papel, num caderno, ou usando um software.

Procure fazer o download gratuito de algum software específico para esta finalidade, o qual lhe ajudará bastante no trabalho de cadastrar suas informações e possibilitará ainda a criação de uma listagem de seus ancestrais em fomato HTML para inclusão em páginas na Internet.

É importante anotar sempre o nome das pessoas com a grafia que consta da certidão de nascimento, mas os outros nomes pelos quais a pessoa era conhecida são importantes. A maioria dos softwares para genealogia permitem também colocar outros nomes pelo qual a pessoa era chamada ou conhecida. Alguns imigrantes optaram por mudar o seu nome na hora da entrada no Brasil, e, mais comumente, os escrivães que anotavam os nomes dos imigrantes não sabiam falar a língua estrangeira e cultuavam o "achismo" (isto é, "eu acho que se escreve assim...."). Isso dificulta a obtenção do passaporte italiano pelos descendentes brasileiros, pois é necessário provar, por exemplo, que Luigi Ravagnani e Luis Ravanhane são a mesma pessoa e fazer as correções oficiais.


.: 3º Passo - Verificar o Que Falta

Faça um levantamento dos dados faltantes relativos a cada indivíduo, e priorize todas as coisas que você precisa esclarecer e que faltam descobrir. Muitas vezes é útil estimar as datas em que determinados eventos poderiam ter ocorrido, bem como as localidades onde aconteceram. Por exemplo: se o costume é realizar o casamento na cidade da noiva, é provável que os registros de casamento estejam na igreja da cidade onde moravam os pais dela. Estas estimativas e suposições o ajudarão muito na pesquisa (mas também podem atrapalhá-lo, se forem mal feitas).


.: 4º Passo - Começar as Pesquisas

Entreviste seus pais, avós e parentes, principalmente os mais idosos, buscando as informações transmitidas oralmente entre os membros da família, objetivando preencher as lacunas verificadas, bem como informações sobre onde e quando as pessoas viveram, e também onde, quando e em quê trabalharam. Faça a mesma pergunta, muito sutilmente, de modos diferentes às mesmas pessoas e em tempos diversos, de modo a depurar as informações. O gravador de seu celular pode ser um excelente instrumento para registrar essas informações. Anote mesmo aquelas não confirmadas, tais como "minha avó era da tribo X" ou "meu bisavô foi conde no país Y". Você verá que essa é uma parte muito gostosa da genealogia: aparecerão brigas, fofocas, alegrias, surpresas, escândalos, derrotas, sucessos e com certeza ocorrerá que duas pessoas contarão o mesmo fato de forma totalmente diferente.

Recheie seu banco de dados com informações pessoais de cada um: formação acadêmica, línguas que falava, instrumentos que tocava, clubes a que era associado, países que visitou. Anote também as anedotas e os fatos pitorescos que aconteceram com eles, trace um perfil psicológico e dê a descrição física dos que conheceu ou tem referência.

Caso você não tenha obtido um resultado satisfatório junto aos seus familiares mais próximos, efetue contato com seus parentes mais distantes e com aqueles que você nem conhece. Para isto, uma boa sugestão é procurar nas listas telefônicas eletrônicas, pessoas que possuam os sobrenomes que você está pesquisando, efetuar um contato telefônico com elas ou até mesmo anotar o endereço e encaminhar uma carta expondo sua intenção, para tentar obter mais alguma informação importante. Não tenha receio! Com certeza a maioria das pessoas irá lhe responder e algumas delas até irão começar a se interessar pelo assunto.

Outra sugestão é utilizar um site de busca na Internet (Google, Bing, etc) e digitar o sobrenome desejado. Aparecerão várias páginas fazendo menção ao referido sobrenome. Acesse as páginas que foram listadas e tente descobrir o endereço do e-mail ou alguma outra informação que possa permitir que você entre em contato com as pessoas que apareceram nesta páginas.

Os sites de busca são uma excelente opção para descobrir informações sobre a história de cidades, fotos, textos genealógicos, enfim, uma infinidade de informações do mundo inteiro que serão úteis para você.


.: 5º Passo - Iniciar a Procura dos Registros Oficiais

Descobertas as cidades de onde vieram os antepassados, comece a procura dos documentos que registram as histórias deles. Pesquise em Cartórios de Registro Civil (na Itália chamam-se Ufficio dello Stato Civile e na Espanha chamam-se
Oficina del Registro Civil), arquivos paroquiais ou livros de registros de igrejas, levando-se em conta as localidades e épocas reais ou hipotéticas.

Infelizmente no Brasil você terá que pagar pela emissão de certidões junto aos Cartórios de Registro Civil, porém, na Itália e Espanha este serviço é totalmente gratuito e o pessoal de lá é muito atencioso, respondendo sua solicitação inclusive nos casos negativos em que não foi possível localizar os registros desejados. Os registros nos cartórios italianos iniciaram-se a partir de 1871, sendo que os registros anteriores a esta data eram efetuados nas paróquias, onde encontram-se arquivados até hoje. Na Espanha, na maioria dos casos, a mesma regra é aplicada.

Para você adquirir as certidões italianas referentes aos seus antepassados, você deve encaminhar uma carta ou e-mail ao prefeito (sindaco) ou ao pároco (parroco) da cidade de origem de seu ancestral. Anexamos nesta página um dos vários modelos desta carta. Para você adquirir as certidões espanholas referentes aos seus antepassados, o processo é similar, você deve encaminhar uma carta ou e-mail ao cartório local (na Espanha são vinculados ao Ministerio de Justicia e você pode adiquirir os endereços no site www.mjusticia.gob.es) ou ao pároco (párroco) da cidade de origem de seu ancestral.


.: 6º Passo - Aprofundar as Pesquisas

Outros locais de pesquisa: bibliotecas públicas, museus, arquivos públicos, institutos históricos, geográficos e genealógicos, academias de letras, etc. Não se esqueça de uma visita ao cemitério para passar a vista nos registros de óbitos... muitos deles já estão se informatizando (como o cemitério da cidade de Jaú/SP) e a pesquisa é bastante rápida. Os livros de sepultamento e as lápides por vezes trazem informações valorosíssimas. Nessa etapa você se aproxima mais dos ascendentes que imigraram e começa a descobrir os locais de onde eles vieram, como vieram, o que fizeram nos primeiros tempos aqui no Brasil, o navio em que viajaram, o porto no exterior, etc.

No Arquivo Nacional localizado no Rio de Janeiro/RJ, encontram-se muitas listas de imigrantes e passageiros de navios. No Museu da Imigração do Estado de São Paulo (instalado na antiga Hospedaria de Imigrantes) localizado no Bairro da Mooca em São Paulo/SP, existem listas de imigrantes disponíveis em terminais de computador de fácil consulta, e você pode requerer as certidões de desembarque através de um formulário on-line via Internet.

Outro lugar onde você encontrará todas estas informações em microfilmes será na Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias (Mórmons). A igreja possui o maior acervo mundial de microfilmes com informações genealógicas (listas de passageiros de navios, registros de igrejas, livros de arquivos públicos, livros de cartórios e documentos de todos os tipos). São mais de 700 milhões de nomes. Eles incentivam seus membros a fazerem suas árvores e os seus Centros de História da Famíla (CHF) que funcionam junto aos templos, são riquíssimos em informações genealógicas, sendo o acervo de livros, microfichas e microfilmes franqueados ao público, mesmo que não professe a religião.


.: 7º Passo - Genealogia na Internet


Como já dito anteriormente, os recursos na Internet, no que tange à genealogia, são muito fartos e existem muitos sites na rede sobre o assunto. Cabe ao pesquisador, regularmente, consultar os sites de busca na Internet (Google, Bing, etc) sobre os temas genealogia, história, sobrenomes, etc.



Fonte: Material base obtido junto ao site www.bsi.com.br/~igepar

Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal