Famílias Minatel e Arnosti - Família Mendola - Da Sicília para o Brasil! Embarque conosco nesta viagem...

Ir para o conteúdo

Menu principal

Famílias Minatel e Arnosti

Nossos Antepassados Imigrantes > Famílias Italianas

Imigrantes Italianos

Famílias Minatel e Arnosti

Um dos integrantes da família Minatel que residia na cidade de Godega di Sant'Urbano, localizada na Província de Treviso, Região do Veneto, imigrou para o Brasil no ano de 1889, partindo do porto de Genova por volta de 20/12/1888 no navio Regina, desembarcando no porto de Santos/SP em 12/01/1889. Este imigrante era nosso trisavô materno Pietro Minatel (47 anos), juntamente com sua esposa Pasqua Arnosti (nossa trisavó materna - 42 anos), os filhos Antonio (13 anos), Lucia (11 anos), Domenico (08 anos), Regina Maria (nossa bisavó materna - 06 anos - nascida em 1882 na cidade de Godega di Sant'Urbano), Teresa (02 anos), seu irmão (pela parte paterna) Francesco Domenico Minatel (28 anos), juntamente com sua esposa Anna Lucia Battistella (24 anos) e seu filho Giovanni (01 ano). O pequeno Giovanni faleceu pouco tempo depois da chegada da família ao Brasil.


Regina Maria Minatel

Nosso trisavô materno Pietro Minatel nasceu em 1841 na cidade de Sarmede, localizada na Província de Treviso, Região do Veneto e era filho do casal Antonio Minatel e Lucia Garbelotto. Casou-se com Pasqua Arnosti (nossa trisavó materna) em 1874 na cidade de San Fior, localizada na Província de Treviso. Pasqua nasceu em 1847 na cidade de Colle Umberto, localizada na Província de Treviso e era filha do casal Giovanni Arnosti e Elisabetta Pagotto. Na ocasião do casamento, Pietro residia na cidade de Godega di Sant'Urbano e Pasqua residia na cidade de San Fior.

Após chegarem ao Brasil, o destino de nosso trisavô Pietro e família foi a fazenda Santa Cruz (recrutados pelo cafeicultor Elias Antonio Pacheco Chaves, genro de Martinho da Silva Prado e Veridiana Valéria da Silva Prado, proprietários da fazenda) localizada na cidade de Araras/SP, região na qual nossa bisavó Regina Maria conheceu nosso bisavô materno pertencente a família Della Colletta. Chegamos a esta conclusão, baseados na certidão de desembarque de nosso trisavô Pietro Minatel e família, onde consta como destino "Guabiroba, fazenda de Dr. Elias Chaves", pois Guabiroba foi uma estação ferroviária inaugurada em 1877, pertencente a Cia. Paulista de Estradas de Ferro e era um dos acessos para as fazendas Santa Cruz, Araruna, Arary e Montevidéo (em 1906 esta estação teve seu nome alterado, recebendo o nome do secretário de Estado norte-americano, o advogado Elihu Root (1845-1937), que depois de presidir a Conferência Pan-Americana na cidade do Rio de Janeiro/RJ, se deslocou para a cidade de Araras/SP e desceu nesta estação para visitar a fazenda Santa Cruz, na ocasião dedicada ao cultivo de café). Também não descartamos a possibilidade de nosso trisavô Pietro e família terem residido como colonos em outras fazendas nas regiões de Cordeirópolis/SP (antiga Cordeiro/SP) e Limeira/SP.

Em 1903 na cidade de Araras/SP, nossa bisavó Regina Maria Minatel casou-se com Giovanni Battista Della Colletta (nosso bisavô materno), cidade na qual residiram por alguns anos. O casal teve os filhos Pedro, Lúcia, Thereza, Ângelo Ambrosio, Virgínio, Rozina (nossa avó materna), Virgínia e Júlia. Por volta de 1905 a família tranferiu residência para as redondezas do Bairro do Cascalho na cidade de Cordeirópolis/SP (antiga Cordeiro/SP), bairro este fundado nas terras da antiga fazenda Cascalho, que em 1884 foi convertida no Núcleo Colonial de Cascalho (o primeiro fundado pelo Governo do Estado de São Paulo), terras que em seus primórdios foram de propriedade de José Ferraz de Campos, Barão de Cascalho, o primeiro dos plantadores de café no oeste paulista. Em meados de 1909 nosso bisavô Giovanni Battista e família, juntamente com outros integrantes da família Della Colletta, transferiram residência para a fazenda Água Santa, localizada na Vila de Santa Ernestina (atual Santa Ernestina/SP), na ocasião pertencente a cidade de Taquaritinga/SP (antiga Ribeirãozinho/SP), a qual possuía uma estação ferroviáriade mesmo nome, inaugurada em 1901, originalmente construída pela E. F. Araraquara e posteriormente adquirida pela FEPASA, sendo que posteriormente transferiram residência para uma fazenda localizada no Distrito de Dobrada (atual Dobrada/SP), na ocasião pertencente a cidade de Matão/SP, o qual também possuía uma estação ferroviária de mesmo nome, inaugurada em 1901, originalmente construída pela E. F. Araraquara. Por volta de 1916 a família mudou-se para uma fazenda na cidade de Ibirá/SP, onde  residiram por alguns anos. Em meados de 1937, nosso bisavô Giovanni Battista e família transferiram residência para a fazenda Bacuri (naquela época a grafia do nome da fazenda era Bacury) localizada na cidade de Urupês/SP (antiga Mundo Novo/SP), nas redondezas da rodovia que liga os municípios de Urupês/SP e Irapuã/SP. Até o presente momento temos conhecimento de que existem descendentes de nossos bisavós residindo nas cidades de Sumaré/SP, Nova Odessa/SP, Itupeva/SP, Jundiaí/SP, Catanduva/SP, Araçatuba/SP, Ribeirão Preto/SP, Mirandópolis/SP, Sud Mennucci/SP, Colorado/PR, Paranavaí/PR, São José dos Pinhais/PR, Curitiba/PR, Apucarana/PR, Umuarama/PR, Colombo/PR, Maringá/PR, Brasilândia/MS e Goiânia/GO. Segundo informações, nossa bisavó Regina Maria teria falecido por volta de 1955 na cidade de Marialva/PR, onde estaria sepultada.

Com relação aos irmãos de nossa bisavó Regina Maria, temos informações que Antonio Minatel (primogênito do casal Pietro Minatel e Pasqua Arnosti, nascido provavelmente em 1875 na cidade de Godega di Sant'Urbano) casou-se com Maria Pagliari (filha do casal Pietro Pagliari e Clementina Maldotti) em 1895 na cidade de Araras/SP e tiveram os filhos Luiz Ângelo, Pedro, José, João, Eugênio, Santa, Tereza, Clemente, Maria e Vitória. Existem descendentes deste casal residindo nas cidades de Matão/SP, Cordeirópolis/SP e Campinas/SP. Antonio faleceu em 1921 no Bairro do Cascalho, na cidade de Cordeirópolis/SP, onde está sepultado e Maria faleceu em 1967 na cidade de Americana/SP, onde está sepultada.
Lucia Minatel (nascida provavelmente em 1877 na cidade de Godega di Sant'Urbano) casou-se em meados de 1900 provavelmente na cidade de Araras/SP com Domenico Pagliari (filho do casal Pietro Pagliari e Clementina Maldotti) e tiveram vários filhos, dentre eles Pedro e João. Segundo informações, o casal residiu na fazenda Santa Cruz, localizada na cidade de Araras/SP. Existem descendentes deste casal residindo nas cidades de São Paulo/SP e Leme/SP. Lucia faleceu em 1955, provavelmente na cidade de Leme/SP, onde estaria sepultada. Ainda não possuímos informações referentes aos outros irmãos de nossa bisavó, Domenico Minatel e Teresa Minatel.

Com relação a Francesco Domenico Minatel (irmão de nosso trisavô Pietro), o mesmo nasceu em 1860 na cidade de Sarmede e era filho
do casal Antonio Minatel e Anna Toffoli (segundo informações, Pietro Minatel e Francesco Domenico Minatel eram irmãos pela parte paterna, ou seja, filhos de Antonio Minatel, pois acreditamos que após o falecimento de sua esposa Lucia Garbelotto, Antonio Minatel casou-se pela 2ª vez com Anna Toffoli). Francesco Domenico casou-se com Anna Lucia Battistella em 1887 na cidade de Godega di Sant’Urbano. Anna Lucia nasceu em 1864 no Distrito (Frazione) de Bibano, na cidade de Godega di Sant’Urbano e era filha do casal Antonio Battistella e Anna Buoro. Segundo informações, ao chegarem ao Brasil, Francesco Domenico e família foram residir e trabalhar nas redondezas do Bairro do Cascalho, na cidade de Cordeirópolis/SP, bairro este fundado nas terras da antiga fazenda Cascalho, que em 1884 foi convertida no Núcleo Colonial de Cascalho (o primeiro fundado pelo Governo do Estado de São Paulo), terras que em seus primórdios foram de propriedade de José Ferraz de Campos, Barão de Cascalho, o primeiro dos plantadores de café no oeste paulista. A família também residiu nas cidades de Santa Maria da Serra/SP e Torrinha/SP. Aqui no Brasil, o casal teve os filhos Regina, José, Angelina, Maria, Antônio, Agostinho, Luiza, Ângelo e Elisa. Existem descendentes deste casal residindo nas cidades de Campinas/SP, São Carlos/SP, Torrinha/SP, Dois Córregos/SP e Dracena/SP. Francesco Domenico faleceu em 1926 na cidade de Santa Maria da Serra/SP, sendo sepultado na cidade de Torrinha/SP. Anna Lucia faleceu em 1942 no sítio Bonfim, na cidade de Torrinha/SP, onde está sepultada.

Em 17/08/2000 recebemos um e-mail enviado por uma integrante da família Minatel residente na cidade de São Carlos/SP, neta de Agostinho Minatel (filho do casal Francesco Domenico Minatel e Anna Lucia Battistella). Ela nos relatou que seu avô Agostinho nasceu em 1900 na cidade de Cordeirópolis/SP e casou-se com Clementina Botteon. Segundo seu relato, existem descendentes deste casal residindo nas cidades de São Carlos/SP e Torrinha/SP. Ela nos informou que seu avô Agostinho faleceu em 1972.

Em 22/11/2004 recebemos um e-mail enviado por uma integrante da família Minatel, neta de Ângelo Minatel (filho do casal Francesco Domenico Minatel e Anna Lucia Battistella). Ela nos relatou que seu avô Ângelo nasceu em 1904 na cidade de Cordeirópolis/SP e casou-se com Assumpta Bertagna.

Em 23/01/2017 recebemos um e-mail enviado por uma integrante da família Minatel residente na cidade de Campinas/SP, bisneta de Antônio Minatel (filho do casal Francesco Domenico Minatel e Anna Lucia Battistella). Ela nos relatou que seu bisavô Antonio nasceu em 1898 na cidade de Cordeirópolis/SP, casou-se com Augusta Gava (filha do casal Antonio Gava e Paola De Nadai) e tiveram os filhos Lúcia, Geraldo, Pascoal, José, Aristides (seu avô), Paulina, Ana, Olívio, Alcides, Nair e Hilário. Segundo informações, o casal residiu nas cidades de Santa Maria da Serra/SP e Torrinha/SP. Existem descendentes deste casal residindo na cidade de Campinas/SP.




Araras: vista aérea da cidade na década de 1930 (IGC)



Notas:

Conforme informamos, o destino de nosso trisavô Pietro Minatel e família ao chegarem no Brasil foi a fazenda Santa Cruz localizada na cidade de Araras/SP, podendo também terem residido em outras fazendas na região de Cordeirópolis/SP e Limeira/SP. Devido a este fato, não descartamos a possibilidade de nosso trisavô Pietro ter residido e trabalhado
nas redondezas do Bairro do Cascalho, na cidade de Cordeirópolis/SP, bairro este fundado nas terras da antiga fazenda Cascalho, que em 1884 foi convertida no Núcleo Colonial de Cascalho (o primeiro fundado pelo Governo do Estado de São Paulo), terras que em seus primórdios foram de propriedade de José Ferraz de Campos, Barão de Cascalho, o primeiro dos plantadores de café no oeste paulista.

Alguns documentos brasileiros que possuímos, trazem a grafia do sobrenome de nossa bisavó Regina Maria Minatel totalmente distorcida, escrito como "Minhotelli", "Minhateli", "Minatelle", "Minateli", "Miguatelli" e "Minateu".

Em 2005 por acasião dos 120 anos de criação do Núcleo Colonial de Cascalho e 110 anos da chegada dos primeiros imigrantes ao mesmo, a Paróquia Nossa Senhora da Assunção, localizada no Bairro do Cascalho, na cidade de Cordeirópolis/SP, divulgou o livro CASCALHO - IMIGRANTES DE ONTEM, BRASILEIROS DE HOJE, que narra a história das famílias que colonizaram o referido Bairro do Cascalho, dentre elas as famílias Della Colletta, Minatel e Gava, das quais somos descendentes.

Em 26/07/2000 recebemos um e-mail enviado por um integrante da família Minatel residente na cidade de Pirassununga/SP, informando-nos que seus bisavós Giuseppe Minatel, juntamente com sua esposa Teresa De Nadai e os filhos Francesco (seu avô - 06 anos - nascido em 1888 no Distrito (Frazione) de Bibano, na cidade de Godega di Sant'Urbano), Pietro e Teresa imigraram para o Brasil em 1894 no navio Carlo R. Segundo seu relato, seus antepassados seriam provenientes da cidade de Godega di Sant'Urbano e após a chegada ao Brasil teriam residido como colonos na fazenda Santa Thereza (antiga fazenda localizada na cidade de Cordeirópolis/SP) onde trabalharam na lavoura de café. Ele nos relatou que em 1911 na cidade de Cordeirópolis/SP, seu avô Francesco Minatel casou-se com Angela Ortolan e tiveram os filhos Leonildo, Laurindo, Olímpio, Maria, Irma, José, Tereza e Antônio. Segundo informações, após o casamento o casal residiu em propriedade da família no Bairro do Cascalho, na cidade de Cordeirópolis/SP. Francesco ficou muito conhecido nesta região pelo exercício da atividade de massagista, sendo chamado pelo apelido de "Keke". Pelo trabalho social prestado à toda a comunidade, Francesco foi homenageado pela Câmara Municipal de Cordeirópolis/SP com uma rua nomeada em sua homenagem. Segundo seu relato, existem descendentes deste casal residindo nas cidades de Cordeirópolis/SP, Pirassununga/SP e Santa Cruz das Palmeiras/SP.

Em 21/04/2004 nosso antigo livro de visitas foi assinado por um descendente de italianos (pertencente a família Bortoluz) residente na cidade de Londrina/PR, informando-nos que seus antepassados italianos imigraram para o Brasil no mesmo ano em que nossos antepassados pertencentes a família Minatel, partindo da cidade de Godega di Sant'Urbano diretamente para a cidade de Araras/SP, para trabalharem na fazenda Montevidéo.

Durante nossas pesquisas, descobrimos outros integrantes da família Minatel (não pertencentes ao nosso ramo) que imigraram para o Brasil. Estas informações foram obtidas durante pesquisa realizada no banco de dados do Museu da Imigração do Estado de São Paulo (antigo Memorial do Imigrante), referente aos livros de registros de entradas/desembarques de imigrantes. Abaixo seguem as informações encontradas:

.: Angelo Minatel (44 anos). Viajou no navio Paraguay proveniente da cidade do Rio de Janeiro/RJ e desembarcou no porto de Santos/SP em 19/11/1887 (livro 007, fl 041, família 00573).

.:
Carlo Minatel (36 anos). Viajou no navio Minas e desembarcou no porto de Santos/SP em 31/08/1906 (livro 078, fl 001, família 00010).

.:
Carlo De Bastiani (40 anos), juntamente com sua esposa Giovanna Piccioni (27 anos), os filhos Alfredo (07 anos), Giulio (05 anos), Eugenio (04 anos), Carmela (02 anos), Italia (07 meses) e sua mãe Angela Minatel (77 anos). Viajaram no navio Tomaso di Savoia e desembarcaram no porto de Santos/SP em 26/07/1914 (livro 090, fl 115, família 56080). O destino desta família teria sido uma fazenda na cidade de Avaré/SP, naquela ocasião propriedade de Antônio Pires do Amaral. No referido registro há citação de que esta família é proveniente da cidade de San Vendemiano, localizada na Província de Treviso, Região do Veneto.

.:
Pietro Zaros (57 anos), juntamente com sua esposa Maria Minatel (42 anos), os filhos Antonio (28 anos), Augusto (15 anos), Carolina (13 anos), ida (12 anos), Francesco (09 anos), Emma (03 anos), Rino (01 ano), sua nora Virginia Giacomin (22 anos), esposa de Antonio e a neta Irene (01 ano). Viajaram no navio Belvedere e desembarcaram no porto de Santos/SP em 12/01/1924 (livro 096, fl 145, família 49250). O destino desta família teria sido uma fazenda na cidade de Espírito Santo do Pinhal/SP, naquela ocasião propriedade de Major João Baptista Neves. No referido registro há citação de que esta família é proveniente das cidades de Motta di Livenza ou Meduna di Livenza, localizadas na Província de Treviso, Região do Veneto ou da cidade de San Stino di Livenza, localizada na Província de Venezia, Região do Veneto.

Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal